Mitos Psicanalíticos

O texto Mitos Psicanalíticos (capítulo 1 do livro The Risk of Relatedness: Intersubjective Theory in Clinical Practise) de Chris Jaenicke, que será apresentado na reunião científica do dia 26/07/2014 na ABEPPS, questiona algumas posturas e conceitos clássicos da teoria e da técnica psicanalítica tais como a idéia de que existe um psiquismo isolado, as concepções de neutralidade e abstinência do analista e, conseqüentemente, a crença na transferência sem a “contaminação” do analista.

Baseado no entendimento de que toda experiência humana está integrada em sistemas relacionais que a constituem, o autor nos faz ver que paciente e analista fazem parte de um campo intersubjetivo onde acontece o interjogo dos mundos subjetivos diferentemente organizados do paciente e do analista. Observador e integrante deste campo, o analista é também observado por fazer parte dele, estando sua própria organização psicológica profundamente implicada em todos os fenômenos que observa e procura tratar.

À medida em que o “cordão de isolamento” em torno do analista deixa de existir, aumenta enormemente o risco da relacionalidade para o terapeuta, colocando-o numa posição muito mais vulnerável.

O autor defende a tese de que não somente ninguém pode escapar de sua subjetividade no tratamento, mas esta também deve ser vista como a base a partir da qual nosso trabalho pode ser realizado.

Sara Lustman Gang.
Secretária da ABEPPS.

Deixe uma resposta